Semana da Igualdade de Évora: Coleção sobre Igualdade de Género apresentada na Biblioteca Pública

A União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), a Câmara Municipal de Évora e a Biblioteca Pública de Évora promoveram, durante a Semana da Igualdade de Género, a apresentação da coleção bibliográfica sobre Igualdade de Género, na Biblioteca Pública de Évora.

 

Na apresentação, Magda Alves, da Direção da UMAR, falou em traços gerais da referida semana - dinamizada em parceria com a Câmara Municipal - tendo agradecido aos parceiros, nomeadamente à autarquia, esta união de vontades e frisando também o acolhimento favorável deste por parte de algumas escolas.

Fez também referência à oferta do kit bibliográfico à autarquia e mostrou disponibilidade para continuar a colaborar com esta e outras instituições do concelho, dada a experiência da associação, que conta já com 36 anos de existência. No kit, informou, “encontrarão, por exemplo, dados estatísticos sobre a situação atual em Portugal de igualdade ou de desigualdade, livros académicos de estudos feitos, quer sobre violência de género, pobreza no feminino, tráfico de seres humanos, livros mais históricos e aqueles que abordam outros tipos de discriminações, como a discriminação com base na deficiência, na etnia ou na orientação sexual.

Por seu turno, a Vereadora Cláudia Sousa Pereira agradeceu à UMAR a vinda e salientou a importância de debater estas questões da igualdade de género e a criação de redes que interagem entre si, recordando também que o trabalho realizado nesta matéria muito se deveu à anterior secretária de Estado, Elza Pais.

Fazendo referência ao Plano de Igualdade Municipal que a Câmara tem em curso em conjunto com diversos parceiros, destacou ainda o valor do protocolo assinado com a UMAR para dinamização desta semana, bem como a oferta do kit bibliográfico, que circulará sobretudo na Loja dos Sonhos.

“Passa da carrinha da biblioteca itinerante da UMAR para a carrinha da biblioteca itinerante da Loja dos Sonhos e essa é também uma boa maneira de pôr as coisas a andar sobre rodas”, considerou a representante municipal.

Joana Sales, também da Direção da UMAR, agradeceu aos parceiros que tornaram possível o evento e sublinhou a importância que a UMAR dá aos livros, como ferramenta prioritária de transmissão de conhecimento e também de recuperar um pouco da história das mulheres, elogiando a Biblioteca Pública de Évora pela parte de livros que disponibiliza sobre a temática.

Mostrou disponibilidade para voltarem a Évora e comentou um powerpoint que foi apresentado sobre o kit bibliográfico, o qual visa, nomeadamente, garantir que as pessoas do concelho possam aceder a mais obras sobre o tema; divulgar livros que não chegam facilmente aos circuitos comerciais; contribuir para retirar as mulheres da invisibilidade histórica; desconstruir estereótipos de género e prestar apoio a trabalhos de estudantes, académicos/as e demais pessoas interessadas nos temas da igualdade de géneros e direitos humanos.

Após uma pequena introdução ao tema, começando pela parte da invisibilidade histórica das mulheres, nomeando algumas das mulheres que se destacaram nesta luta, apresentou um conjunto de livros bastante diversificados que englobam a coleção bibliográfica e também o kit.

O projeto consistiu na vinda da Biblioteca Itinerante pela Igualdade de Género, a qual disponibiliza recursos pedagógicos (folhetos informativos, contos infantis não sexistas e livros na área de igualdade de género) e a sua participação num conjunto de eventos.

“Já tivemos duas ações sobre violência no namoro em Évora e o acolhimento por parte das professoras e a recetividade dos alunos e alunas foi muito boa”, considerou a dirigente da UMAR, apontando que “um ponto menos bom, foi ter a clara noção de que a violência no namoro é uma presença diária em todo o lado e Évora não é exceção”, revelando mesmo que lhe chegaram alguns pedidos de ajuda por parte de jovens vítimas deste tipo de violência.

“O balanço que faço da semana é positivo, fico ainda assim com um sentimento que soube a pouco, porque Évora é muito grande, tem muita população diversificada”, afirma a dirigente da UMAR.

Realçou ainda que Évora tem a vantagem de ter estruturas que respondem diretamente a vítimas de violência e muitas organizações e associações juvenis com as quais gostariam de ter reunido, mas mostra-se otimista afirmando que “esta foi uma primeira passagem por Évora, mas com certeza que voltaremos”, deixando o apelo a todos para visitarem as duas exposições que a associação e parceiros têm no Palácio de D. Manuel.

 

.::Destaque::.

destaque2
cartaz_01.jpg

Newsletter

Free business joomla templates