facebook1

APOIE A UMAR
NA SUA DECLARAÇÃO
DE IRS!

irs

Apoiar a UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta é muito simples e gratuito! Basta canalizar legalmente 0.5% do IRS que já pagou ao Estado para a UMAR - não custa nada!

Basta no Modelo 3 ir ao Anexo H, escolher o Campo 1101 do Quadro 11 e colocar o NIF da UMAR: 501 056 246

Assim, ajuda-nos a continuar o nosso trabalho de intervenção social, que já conta com 40 anos. Esta é uma forma de contribuir para o activismo em prol da Igualdade de Género e o trabalho político, social e cultural que desenvolvemos. Apoia-nos na luta contra as múltiplas discriminações e pelo fim das violências sobre as mulheres!

OBRIGADA!

Importante

Se não quer que saibam que esteve neste site CLIQUE AQUI

Newsletter

nao assedio
Introdução

logo_omaObservatório de Mulheres Assassinadas da UMAR, iniciado em 2004, constitui-se como um grupo de trabalho que pretende desenvolver o estudo do homicídio e tentativa de homicídio por violência de género e conhecer o seguimento dos casos em consequência da violência contra as mulheres ou violência de género.

Desocultar esta realidade até há pouco silenciosa, valorizar as mulheres vítimas desta violência extrema e propor medidas que auxiliem na prevenção deste crime são os principais objectivos deste Observatório.

Mais ainda, assente numa dinâmica de pesquisa que articula metodologias quantitativas e qualitativas, este grupo de trabalho pretende também contribuir para o conhecimento e compreensão do fenómeno com vista a encontrar caminhos para a eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres.

Consciencializando para o carácter patriarcal e sexista desta violência, Observatório das Mulheres Assassinadas da UMAR tem também em conta o cruzamento com outras variáveis, como a classe social, a etnia, a orientação sexual, a idade, para um aprofundamento das causas e consequências deste grave problema social. Neste sentido, pretende-se ainda articular estes resultados para a compreensão dos níveis mais baixos, mais insidiosos da desigualdade de género, como são a misoginia e o femicídio.

Femicídio, um conceito inicialmente apresentado por Diana Russell (1976), pode dar conta do crime de homicídio em que as mulheres são assassinadas por serem mulheres, numa sociedade patriarcal que, apesar de toda a evolução a que temos assistido, assenta na desvalorização da mulher como pessoa e como cidadã, cruzando esta desigualdade na estrutura de desigualdade e opressão capitalista, homofóbica, racista e capacitista.

O grupo de trabalho da UMAR que leva a cabo esta tarefa consiste num conjunto de voluntárias/os, integrando investigadoras/es, juristas, psicólogas, educólogas e docentes. Uma das suas metas consiste em apresentar os resultados desta pesquisa de forma regular.