Que se Lixe a Troika, o Povo é quem mais Ordena!
cartaz ponto de encontro feministamanif 2 de março

A manifestação de dia 2 de Março - http://mulherescontraausteridade.blogs.sapo.pt/7424.html e http://mulherescontraausteridade.blogs.sapo.pt/7914.html

Ponto de Encontro Feminista, Lisboa, 15h30: junto ao edifício da PT em Picoas

Traz vestido algo de cor lilás e junta-te!

Cartaz 2 de MarçoTodos os dias ouvimos falar na "crise" e na "inevitabilidade" da austeridade e todos os dias a sentimos nas nossas vidas, nas nossas casas. A propósito da "crise", criada pelo mundo da finança e aplicada pelos governos a seu mando, já nos mandaram emigrar, já nos chamaram piegas, já disseram que temos vivido acima das nossas possibilidades, já disseram que éramos cigarras...

Dizem-nos que o trabalho não é um direito, que a precariedade é inevitável. Que é "natural" e "inevitável" que nos despeçam, nos recusem um emprego ou o acesso a determinado posto por podermos vir a engravidar, ousarmos pensar em ter crianças, sermos mães. Dizem-nos que até é bom o regresso ao lar, afinal as mulheres hoje já não estão bem consigo, com a sua vocação, a sua natureza.

MMM imageDizem-nos que é "natural" e "inevitável" termos, por sermos mulheres, muito mais probabilidades de trabalhar na economia informal ou de receber um salário inferior ao que auferiríamos se fossemos homens. Dizem-nos que a violência doméstica é uma fatalidade, afinal quem não sai da relação é porque não quer, se não tem autonomia financeira é porque não quer trabalhar, ou trabalha pouco.

Cortam brutalmente nos serviços públicos e esperam que sejamos nós, as mulheres, a assumir, em trabalho não pago, o que entendem não ser bem público: a saúde, a educação, a protecção social, o cuidado dos/as idosos/as.

É suposto ainda acharmos "natural" e "inevitável" que, associado às políticas neoliberais, esteja um discurso profundamente conservador que pretende novamente tutelar os nossos corpos e a nossa autodeterminação.

A tudo isto respondemos: nada é inevitável. Todas estas situações são fruto de relações de poder, relações de força, interesses, perspectivas e escolhas. Sabemo-lo bem e não nos deixamos enganar.

As respostas a estes discursos e a estas políticas suicidas têm de passar pelos povos, pelos milhões de mulheres e homens que vivem diariamente esta crise e que não vislumbram futuro. É pela denúncia, pela recusa, pela mobilização que passa a solução. Uma solução verdadeiramente transformadora e emancipatória, na qual as mulheres têm um papel fundamental.

A MMM apela a todas as cidadãs e todos os cidadãos que queiram ser parte dessa solução a divulgar; mobilizar e participar na Manifestação do próximo dia 2 de Março, convocada por um conjunto alargado de pessoas sob o lema Que se Lixe a Troika ! O Povo é quem mais ordena ! Haverá manifestações por todo o país (mais infos em www.queselixeatroika.net) .

Em Lisboa, ponto de encontro feminista às 15h30, junto ao edifício da PT em Picoas. Apelamos a que se juntem a nós vestidos/as com algo de cor lilás.

No dia 2 de Março, junta-te à onda feminista e ao protesto popular que irá mobilizar milhares de cidadãs e cidadãos.

Feministas somos e seremos, para escravas/os não sermos!

A Marcha Mundial das Mulheres

http://mulherescontraausteridade.blogs.sapo.pt/

Informações sobre a manifestação de dia 2 :

Texto de apelo: http://queselixeatroika15setembro.blogspot.pt/2013/01/que-se-lixe-troika-o-povo-e-quem-mais.html

Concentrações / Manifestações: http://queselixeatroika15setembro.blogspot.pt/p/lista-de-eventos.html