É urgente pôr fim à cultura de violência contra as mulheres na India

indiaFinalmente a sociedade indiana acordou para os inúmeros crimes de violência contra as mulheres que há décadas e décadas se perpetuam na Índia perante a indiferença de uma sociedade de raiz patriarcal que sempre subordinou as mulheres chegando a imolar pelo fogo as viúvas e a cometer os mais hediondos crimes de honra. Já em 1995, na Conferência de Pequim, as mulheres indianas presentes denunciaram esta situação perante as Nações Unidas.

Desta vez, a violação de uma jovem de 23 anos em pleno autocarro por seis homens gerou um grito de revolta que desencadeou as muitas manifestações de rua que têm vindo a pressionar o governo indiano a tomar medidas, situação esta que também se está estender ao Paquistão onde os mesmos crimes de violação de meninas e raparigas é cometido.

A comunidade internacional não pode ficar indiferente, mais a mais, quando se sabe que não há que confiar numa justiça que tem fechado os olhos a todas as atrocidades que são cometidas contra as mulheres na Índia.

Deste modo, a UMAR solidariza-se com as mulheres indianas na luta pelos seus direitos e exige que o governo indiano garanta esses mesmos direitos não só através de leis que assegurem tais direitos mas também pelo cumprimento das mesmas.

A UMAR apela à adesão a este texto através do mail Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar para que seja entregue na Embaixada da Índia (R. Pêro da Covilhã, 16 no Restelo), em data que anunciaremos.