Associações consideram xenófobas e misóginas as declarações do Bastonário da Ordem dos Advogados
A Casa do Brasil de Lisboa (CBL), a ALCC – Associação Lusofonia, Cultura e Cidadania, a Associação ComuniDária e a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta vêm reafirmar o seu repúdio para com todas as formas de estigmatização da mulher brasileira.

Consideramos lamentáveis e perigosas as declarações do Sr. Bastonário da Ordem dos Advogados no programa Justiça Cega, do Canal RTP Informação,.. emitido no passado dia 31 de outubro do presente ano, pois fomentam o preconceito e o desrespeito para com as mulheres brasileiras e, em particular, às mulheres brasileiras residentes em Portugal.

A infeliz perpetuação desta imagem redutora e hipersexualizada da mulher brasileira, através de pessoas que ocupam cargos de responsabilidade, como o Dr. Marinho Pinto, tem implicações graves para a vida de cada uma das brasileiras vivendo em Portugal. São frequentes os casos de assédio sexual, discriminação no emprego e na vida social, bem como dificuldades no acesso ao alojamento e interrogatórios abusivos nos aeroportos e nas esquadras de polícia.

As declarações prestadas, em tom de escárnio e ironia, desrespeitam o Estado brasileiro e demonstram um profundo desconhecimento sobre o movimento migratório brasileiro, em particular sobre as características e papel das imigrantes brasileiras em Portugal.

Consideramos que as declarações do Sr. Bastonário, xenófobas e misóginas, atentam contra a dignidade não só das mulheres brasileiras, mas de todas as mulheres!