Perdemos a nossa companheira e co-fundadora da UMAR, Conceição Pereira
Conceição Pereira 1936-2020 1

Maria Conceição Pereira (1936-2020), querida companheira de muitos anos e de muitas de lutas, uma das fundadoras da UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta. Faleceu esta manhã.

Conceição Pereira nasceu em Abril de 1936, na freguesia do Seixal, na Madeira. Durante a juventude teve que conciliar o trabalho com a sua enorme vontade de estudar. Conseguiu enfrentar as contrariedades e tornou-se ela própria regente escolar. Trabalhou também na Câmara do Funchal e no âmbito dos organismos operários da Acção Católica envolveu-se na luta antifascista. Em 1972 decidiu ir para França onde trabalhou e estudou regressando à Madeira em 1975 com um diploma da Alliance Française.

De empregada doméstica em França a professora no Funchal, a sua experiência de vida é um ensinamento para todas nós.

Mulher de luta envolveu-se nas questões políticas e sociais durante o Verão Quente enquanto conquistou habilitação própria e a profissionalização. Sindicalista desde que começou a leccionar, Conceição Pereira bateu-se sempre pelos direitos das mulheres.

Como co-fundadora, ajudou a criar com Guida Vieira e Assunção Bacanhim o núcleo da UMAR Madeira em 1976, mantendo-se activa durante décadas, mesmo em idade muito avançada. E se existem mulheres que são uma referência na nossa associação, Conceição era uma delas!


O seu legado sempre foi muito reconhecido e aplaudido na nossa associação. Em 2013, no âmbito do projecto Memórias e Feminismos da UMAR foi feita a recolha da sua história de vida, publicada em livro, que se encontra disponível na sede da UMAR Madeira e no Centro de Documentação da UMAR em Lisboa, assim como um excerto do seu testemunho de vida perdura desde então no canal Youtube deste projecto: https://www.youtube.com/watch?v=_X98SGpkPhs

Além do activismo que fomos partilhando, foi também com muita alegria, respeito e orgulho que fomos recebemos algumas notícias suas ao longo da vida, como a de que tinha sido a vencedora da 1.ª edição do Prémio Municipal Maria Aurora em 2015. Este prémio, promovido pela autarquia do Funchal teve como objectivo o de premiar o melhor trabalho, no âmbito da temática da igualdade de género. Conceição Pereira foi então a candidata seleccionada com o seu trabalho "Vozes: Vivências, clamores, mensagens" que reúne entrevistas a 36 mulheres madeirenses, entre os 20 e os 90 anos.

A UMAR também lhe dedicou em 2010 uma sessão em sua homenagem no Funchal e, outros momentos em sua memória se seguirão.

Ela também amava a escrita! Conceição escrevia sobre as mulheres madeirenses, de uma forma simples, em prosa e verso. Uma simplicidade de escrita em nada retirava a profundidade das histórias e a riqueza de reflexões que ela delas retirava. Com um espólio considerável de livros e de artigos para jornais, muitos estão disponíveis para consulta no centro de documentação (físico e digital) da UMAR, no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR).

Lamentamos profundamente a sua morte e enviamos a todas/os as/os familiares e amigas/os um abraço de solidariedade neste momento tão difícil. A sua presença e intervenção será sobejamente sentida por todas, principalmente pelas nossas companheiras madeirenses.

Querida Conceição, não serás esquecida!

Fica entre nós o teu lindo sorriso e os olhos de quem queria saber sempre mais.

A Direcção da UMAR, a 11 de Junho 2020